Tecnologias

  

     Sempre em busca de produzir com excelência, o trabalho de pesquisas são sempre empregados uso de tecnologias voltadas para o aumento da produtividade. Sempre aberto a inovações tecnológicas, se enquadra na máxima de André Voisin, de que “Produtividade é um estado de espírito”, mas consciente de que nenhuma tecnologia tem utilidade se não puder levar a resultados econômicos positivos para o produtor.

     Na região do semiárido norte mineiro, onde Gabriel Andrade desenvolve a seleção do gado de corte, se envolveu também na pesquisa de gramíneas forrageiras que melhor se adaptassem às diferentes condições de clima e solo regionais. Na década de 70 fez convênios com a Embrapa CNPGC e Epamig para introdução e estudo de forrageiras e no controle de pragas. Gostando de congregar, participa ativamente das mais diversas questões e decisões que afetam a agropecuária brasileira, compondo conselhos e diretorias de diversas associações, de classe, de criadores, de desenvolvimento.

 

Tecnologias Aplicadas

Nelore Colonial – Nelore com Garantia de Precocidade e Produtividade

Em 1973 Iniciou-se pesagem de animais jovens, para conhecer o ganho de peso dos animais e comparar cada animal ao seu grupo de contemporâneo e utilizando os dados obtidos para reservar os animais que seriam utilizados para reproduzir, reproduzindo sempre os melhores animais.

Em 1973 Iniciou-se controle leiteiro – A ABC Associação Brasileira de Criadores, iniciou os controles de produção de leite do Nelore Colonial por via de controle leiteiro mensal e classificar as matrizes por suas produções criou um ranking como livro de mérito para as melhores matrizes produtoras de leite e de sólidos.

Em 1976 Iniciou-se estação de monta – Selecionar as matrizes e touros por fertilidade e produtividade e melhorar os índices zootécnicos do rebanho.

Em 1976 Iniciou-se avaliação andrológica / Exame andrológico – Melhorar os índices de prenhês do rebanho e descartar os reprodutores.

Em 1980 Iniciou-se comercialização em leilões, a colonial ainda no ano 1980 criou um leilão na fazenda serra colonial em janaúba - MG para comercializar em um só dia um número grande de animais com o intuito de oferecer ao mercado qualidade, quantidade, comodidade e oportunidade, disponibilizando entre 2.000 a 4.000 animais de uma só vez, chegando a fazer 3 leilões por ano na fazenda depois passou a fazer mais leilões para oferecer não só animais para cria, recria e engorda mas também animais de genética confiável para disseminar o material genético que selecionava para todo o brasil.

Em 1981 Iniciou-se controles zootécnicos informatizados, com a base de dados em belo horizonte e a partir de 1989 foi transferido toda a base de dados para a fazenda serra colonial sede do grupo colonial.

Em 1983 Iniciou-se avaliação genética – com a implantação do programa de melhoramento genético com apoio do CNPGC EMBRAPA Prof. João Camilo Milagres e apoio do geneticista Luiz Otávio Campos e Silva e após 1986 coordenação do geneticista Prof. José Aurélio Garcia Bergmann (UFMG).

Em 1983 Iniciou controle leiteiro – Com Apoio total do geneticista Prof. Dr. Mario Luiz Martinez da EMBRAPA - CNPGL em Coronel Pacheco passou a controlar a produção de leite do Nelore Colonial por via de controle leiteiro mensal e classificar as matrizes pelas suas produções e fazer avaliação genética do rebanho nelore leiteiro, criou um ranking de VALOR GENÉTICO ( VG ) para as matrizes produtoras de leite, Touros Pais das matrizes em produção e animais jovens.

Em 1985 Iniciou transferências de embriões pelo Dr. Célio de Freitas e também o Dr. Zanenga e depois utilizando da tecnologia de transferência de embrião em matrizes da seleção Calciolandia e Colonial para reproduzir matrizes oriundas ( Filhas ) de touros da Importação de 1962 e boas produtoras e depois fazendo uso da tecnologia da FIV a partir da criação da tecnologia para reproduzir em larga escala os animais melhores geneticamente e produtivos e mais jovens visando obter maiores ganhos genéticos.

Em 1988 Descarte pela HMMP habilidade materna, as matrizes passaram a serem avaliadas pela habilidade materna, pelo índice HMMP da ABCZ do programa de melhoramento genético da ABCZ hoje PMGZ DEP Materna e descartadas pelo índice todas as matrizes com valor negativo.

Em 1988 a colonial passa a avaliar as progênies de cada safra individualmente pelo DERAS, PROGRAMA MELHORAMENTO GENÉTICO ABCZ e tornando uma constante até quando da alteração do sistema de avaliação fenotípica visual.

Em 1990 teve início a tomada de medições periódicas do Perímetro Escrotal (PE), com apoio do Prof. Dr. Vicente Valle Filho da UFMG e depois continuada as medições para o programa PMGRN - NELORE BRASIL buscando selecionar fertilidade como o principal item da seleção colonial.

Em 1993 a fazenda passou a fazer parte do PMGRN, Programa de melhoramento Genético da Raça Nelore da USP Ribeirão Preto hoje Nelore Brasil ANCP coordenado pelo Prof. Dr. Raysildo Barbosa Lobo.

Em 1994 a fazenda iniciou-se em programas de teste de progênie de touros da raça nelore sendo criado pelo programa PMGRN o teste de progênie com todos os touros codificados, classificando o seu touro CREDENCIAL COL em segundo lugar no Grupo de mais de 10 touros, foi mudado o teste de progênie do PMGRN e passou a se chamar Reprodução Programada da ANCP, a colonial é o único criador a participar de todas as edições do teste de progênie ( RP – REPRODUÇÃO PROGRAMADA )

Em 1994 foram acasaladas as primeiras novilhas de 12 a 14 meses de idade entraram em estação de monta a título de pesquisa que seria material base para uma tese do Veterinário Dr. Paulo Namur as fêmeas da estação de nascimento 1993 em um total de 50 fêmeas foram os primeiros 2 lotes a entrarem em estação de monta Super Precoce no programa nelore super precoce da Seleção Colonial.

Em 1996 as matrizes passaram a serem avaliadas pela habilidade materna pela dep MATERNA ANCP do programa de melhoramento genético PMGRN, NELORE BRASIL ANCP hoje DEP MP120 ou dias Materna também a Colonial se destaca como um rebanho provado pela sua alta acuracia das deps de habilidade materna e que produz touros com ótimos índices nas suas avaliações genéticas para efeito materno.

Em 1996 a Colonial inicia com venda de sêmen de 2 reprodutores da raça nelore CORONEL DA COL principal reprodutor nelore leiteiro e filho da matriz da raça nelore de maior produção de leite SENEIA DA COL que produziu 4388 kg de leite em 305 dias de lactação e NUR MAHAL COL bastante jovem mas já provado por suas progênies. Nos dias atuais a Colonial já comercializou sêmen de 45 touros da raça nelore para todo o território brasileiro e merco sul.

Provando que o rebanho colonial não é um rebanho que coleciona animais e sim seleciona com critérios, baseado sempre em produtividade.

O mercado tem buscado reprodutores provados, mas não é só isso.

Não basta ser provado mas sobre tudo produtivo, econômico, confiável e consistente entre as avaliações genéticas e fenotípicas.

Sabemos que para produzir gorduras aparentes ao olho humano basta alimentar-se muito no cocho. Avaliar, selecionar e reproduzir animais superiores geneticamente nos quesitos de produtividade se faz necessário para assegurar a transferência de genes positivos para as gerações futuras da pecuária de corte.

Coerência é a nossa palavra chave.

Em 2000 Iniciou-se comercialização em leilões com Transmissão pela TV, a Colonial acreditou e participou do primeiro leilão com transmissão pelo SBA - CANAL DO BOI vendendo matrizes nelore registradas genética provada e comprovada em Morada Nova de Minas – MG, acreditar em tecnologias modernas se faz necessário por isso temos conseguido superar barreiras e hoje distribuímos genética para quase todos os estados da federação.

Em 2003 inicia a parceria com AVAL serviços tecnológicos S/S, a participar do projeto avaliação de carcaça de animais jovens programa fêmeas Super Precoce ANCP NELORE BRASIL que propunha a medir e identificar e criar uma ferramenta que viesse avaliar animais super precoces que até então o nelore brasileiro ainda não tinha sido testado iniciou a participação da COLONIAL no projeto e depois tornou-se uma constante para nortear a seleção COLONIAL.

Hoje depois de 1 década de trabalhos, imagens de carcaça e avaliações genéticas a colonial tem certeza que valeu apena pelo esforço para obter os resultados que temos conseguido pois animais filhos de touros colonial tem produzido mais e melhor em menos tempo. Isso é fato já comprovado por inúmeros clientes que consta em nosso portfólio que cada vez mais tem buscado adquirir touros da seleção e marca COL.

Em 2009 inicia a parceria com PFIZER ( Zoetis ) Saúde animal para participar do projeto CLARIFIDE que propunha a criar uma ferramenta que viesse avaliar indivíduos e população para identificar animais superiores do ponto de vista da produtividade e que viesse a aumentar a acurácia dos valores genéticos, só para ter idéia da importância dessa tecnologia hoje conhecemos o potencial genético dos nosso animais nos primeiros meses ou dias de vida do animal.

A Genômica diz quem são os melhores, não basta só falar,

tem que comprovar.

Genômica – Clarifide Zoetis

GENÔMICA - CLARIFIDE ZOETIS

 

Objetivo Final

Comercialização, Produtividade com Resultado Econômico Positivo

Estaremos em busca constante de um animal produtivo e econômico, visando sempre a rentabilidade do criador e as necessidades da segurança alimentar.